sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

O Pressentimento


Naquele dia Maria acordou com um pressentimento: "algo bom vai acontecer". Até hoje sempre fora uma pessimista de carteirinha. Não acreditava no amor, nas pessoas, muito menos na bondade humana. Via tudo pelo lado negativo. Uma nuvem preta pairava sobre sua cabeça.

Mas hoje pela manhã sentiu-se como nunca antes. Feliz. Vestia sempre roupas escuras e sombrias. Hoje não, colocou algo leve e claro. O dia estava propício para uma caminhada. Ouviu o canto dos pássaros onde antes só ouvia ruídos e buzinas. Respirou fundo.

Parou na esquina mais movimentada do bairro. O sinal ainda estava aberto para os carros, lembrou do bom pressentimento e atravessou a rua de olhos fechados.

Freada de carros, barulho de corpo caindo no chão... era o pressentimento.


4 comentários:

  1. Não sei por que razão a personagem desse post me lembrou eu mesma... Hehehe!

    ResponderExcluir
  2. Fazer roleta russa em esquinas movimentadas nem sempre acaba bem...
    Há braços!!

    ResponderExcluir
  3. Ô Maria burra ¬¬'

    ResponderExcluir